O Brasil está prestes a sediar mais um dos eventos esportivos mais assistidos do mundo, mas como os brasileiros irão acompanhar os Jogos Olímpicos Rio 2016? Uma pesquisa nacional realizada pela Millward Brown em junho desse ano mostrou que mais de 80% da população acompanhou as obras no Rio de Janeiro, 41% seguiu o revezamento da tocha e 33% consumiu informações sobre algumas categorias e disputas classificatórias.

Dentre os entrevistados só 9% pretendiam acompanhar o evento presencialmente, sendo que a maioria (79%) deve assistir as competições remotamente. Desse total, grande parte pretende acompanhar pela TV (78%), seguido pelo computador (22%), celular (15%) e tablet (5%).
Entre as razões mencionadas para a decisão de não compra de ingressos temos um equilíbrio entre indisponibilidade nas datas (30%), falta de interesse (27%) e avaliação de preços muito altos (26%). Quem efetivamente tentou comprar, achou o preço caro (7%), não encontrou a modalidade que desejava (6%) ou já tinha esgotado (5%).

Desses 9% que vão acompanhar a competição ao vivo, 2% moram no Rio de Janeiro, 5% viajarão para a cidade e os outros 2% assistirão na sua cidade, fora do Rio de Janeiro. Quanto à origem dos ingressos, 7% das pessoas consultadas compraram e 2% ganharam.

As modalidades de maior interesse do brasileiro são muito semelhantes para assistir ao vivo ou remotamente: futebol, vôlei, natação, vôlei de praia, atletismo, basquete e judô. Porém, quem vai às arenas também gosta de ciclismo e luta olímpica. Já quem vai assistir pela tela, deve acompanhar ainda nado sincronizado e saltos ornamentais.